22 dezembro 2012

Desejos Necrófilos

! Texto de minha autoria !

O pélago, um noctívago guardador de segredos, carregado de indesejáveis descobertas... Imago que emerge tudo e todos.

Em um dia qualquer nublado na beira do mar, havia um grupo de amigos, em umm festejo cheios de pândegos, todos se divertiam, em uma bebedeira desordenada, Adam e sua namorada Ally conversavam um pouco mais afastados dos outros, dizia ele que haveria uma surpresa diferente de todas as outras e por esse motivo a trouxe para cá. Adam esperou todos irem embora, amigos ficaram  surpresos por ele querer ficar em um lugar diga-se perigoso e frio sozinho com Ally, mas disse que seria bom para os dois e que não se preocupassem. Quando já estava tudo quieto apenas o mar para observar, Adam pegou na mão de Ally e disse que a hora da surpresa estava perto de chegar, os olhos da menina brilhavam ansiosamente, citando que aquele dia seria o melhor de todos. Adam levou então Ally para um lugar bastante escuro, onde só se podia ouvir o barulho do mar, das ondas, e dos corvos... Era uma pequena caverna entre as rochas, Ally observou e perguntou por que seu namorado havia levado num lugar tão esquisito, logo Adam respondeu: 

- Quero provar do seu corpo, mas não quero um corpo qualquer, quero que você seja meu cadáver, e se assim sobreviver, estarei fora de mim, a fazer o que desde criança tenho apetência, sem indulgência, por veemência, talvez demência e farei somente com você, porque lhe escolhi.

Não deu tempo nem ao menos de Ally questionar, apenas olhou com um olhar aterrador para Adam, por alguns segundos ela teve a percepção mais aterrorizante do que iria acontecer. Adam para matar ela, imprensou fortemente a cabeça de Ally entre as rochas, começando a bater fortemente enquanto seu crânio descerrava, e seus miolos impregnados nas rochas, Adam não sabia mais o que era realidade em seus atos, ainda de total consciência e ao mesmo tempo com mais vontade de terminar o que começastes. Depois que Ally ficou com sua cabeça esmagada, ele observou seu sangue escorrer pelo corpo, escorrendo por seus seios, pra ele, extremamente excitante, Tirou a blusa de Ally, passou sua faca lentamente em seu corpo sem vida, e retirou seu seio esquerdo, restando apenas um buraco e muito sangue... Adam penetrou seu pênis no lugar e sentiu o coração morto e lúgubre de sua namorada, seu objetivo era retirá-los do lugar, continuou penetrando o buraco feito por si, se misturando com todo o sangue, conseguiu então sentir o coração dela depois de certo esforço, depois de abrir, remover ou quebrar seus ossos, obteve seu ápice sexual no íntimo de seu coração. Adam começou a fazer o tão esperado desde criança, praticou necrofilia sentindo o mórbido órgão genital de sua namorada frio, enquanto observava seu crânio esmagado e seu peito aberto com o coração para fora, seus ossos quebrados, a feição de seu rosto também havia sumido.

Uma perfeita aberração... Para ele.

Quando Adam acabou de transar com o cadáver, inseriu muito forte a faca dentro do órgão genital de Ally, repentinamente. Seu corpo já estava retalhado, seus órgãos lacerados. Quando Adam finalmente terminou seu desejo de infância escondeu as partes em diferentes cantos debaixo de uma areia perto das rochas, seus miolos e sangue entre as paredes das rochas apenas tentou limpá-los com a água do mar...

Finalmente Adam havia cumprido seu objetivo e estava se mudando de casa, para apenas depois de duas semanas se mudar de cidade para fugir.

Para a surpresa dele, alguém havia visto tudo e desenterrado o corpo, ou ao menos seus pedaços espalhados... 

 Dias depois Adam recebe sua querida namorada, ou ex, na porta de sua casa, estranhamente não tinha origem, Adam ficou desesperado tentando se esconder, o que para ele seria impossível, alguém já havia visto o lugar, achando ele estar solitário. Mas sabia ele, sobre a brincadeira de mal gosto. Adam enterrou o corpo retalhado já com forte odor. A noite, acordou na madrugada com um cheiro horrível ao seu lado, e quando virou-se lá estava sua namorada, ou pelo menos um pedaço de carne se decompondo. Adam voltou novamente para o mar, o mesmo local que fizera suas vontades mórbidas, sentou com o cadáver de Ally ao lado, ficou horas ali, já estava louco e não tinha mais volta, apenas queria saber quem havia visto o que ele fez com Ally, aquele segredo não estava mais entre ele, Ally e o mar. 

Quando Adam está prestes a jogar o corpo de Ally no mar, para deixar as ondas levarem, uma estranha menina surge no local, havia seguido Adam. Armada prendeu-o entre as rochas frias e mórbidas presenciadas pela necrofilia de Adam semanas atrás. A estranha menina revelou então a irmandade com Ally em seitas religiosas do passado, e também a ex do mesmo. Citou então:

- Eu o vi, poderia ter me excitado talvez,, mas agora voce vai pagar por Ally, 7 vezes mais. Você gosta da solidão e da morte, e isto terá até o fim de sua vida. E então terei meu prazer completo.

 A estranha garota de cabelos vermelhos amarrou Adam na mesma caverna que fizera o ato com Ally, cortou os pés de Adam para não fugir e deixou morrendo aos poucos de fome, de sede, e de loucura junto aos ossos do cadáver e restos decompostos ao seu lado. Justiça fez. O que ele desejou desde criança então durastes pra sempre, e a irmandade de Ally nunca mais vista. Restou somente o mar para o guardar de companhia em seus últimos dia de vida ao lado do cadáver de Ally.



Quando nossos desejos horripilantes se tornam impulsivos, esquecemos o humanismo, que nunca existiu em uma mente surreal e insana. 

2 comentários:

  1. A senhorita sabe latim, Tassany? Pergunto porque, que eu saiba todos, os adjetivos devem concordar com o(s) substantivo(s) em gênero, número e caso. No entanto, no título do blog, o adjetivo "mortuus" está no nominativo masculino e "cruentum" pode ser acusativo masculino ou nominativo neutro. Meu latim não é nada bom, por isso gostaria de que a senhorita me esclarecesse o motivo de colocar esse título, pode ser algo que eu desconheça dessa língua.
    - Solfieri

    ResponderExcluir
  2. Belo conto.

    Não lembro de ter encontrado ainda alguém com um estilo literário parecido com o meu (apesar de que parei de escrever faz um tempo). Meus sinceros parabéns e com certeza lerei os outros! Abração!

    ResponderExcluir