21 fevereiro 2014

Saló - Os 120 dias de Sodoma (1975)


Título: Salò o le 120 giornate di Sodoma (Original)
Salò, or the 120 Days of Sodom (Estados Unidos da América)
Dirigido por: Pier Paolo Pasolini
Duração: 116 minutos
Idioma: Italiano (Legendado)

Pasolini foi um dos grandes cineastas italianos. Salo, por mais bizarro que possa ser em sua distopia escatológica, está munido de um conteúdo "diferente". É inspirado na obra "120 Dias de Sodoma", do Marques de Sade, na qual a natureza humana é levada a abismos extremos. Pasolini bebeu dessa perversidade da obra e a transportou, metaforicamente, do micro para o macro pois, no século XX, nada ilustrou melhor a perversidade humana do que os regimes totalitários de Hitler e Mussolini, o cineasta imprimiu analogicamente a perversidade criada pelo Marques de Sade, nos regimes Nazi-fascistas. É simplesmente único, uma obra prima ousada da Sétima Arte. 


O filme ataca não só todas as vertentes políticas e seus extremos, como também a igreja [e poucos sabiam atacar a podridão da igreja como Pasolini].

Todavia, é um filme para poucos. A divisão dos capítulos deixa bem frisado o que virá pela frente.
O ante-inferno é intrigante. O Círculo de Manias é perturbador. Agora, o Círculo de Fezes é uma das coisas mais nojentas que possa haver em um filme. Foi referenciado no underground "Vase de Noces", inclusive. Ambos deixarão muitas pessoas com ânsia de vômito!
E, fechando a obra, o Círculo de Sangue é excitante (para uns) e angustiante (para outros) ao extremo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário